Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘albert einstein’

A entrevista foi concedida em 2005, por ocasião das comemorações do Ano Internacional da Física.

EntrevistaIHUeinsteinPDF

Anúncios

Read Full Post »

Em algum dia de junho de 1951, o padre jesuíta Gaspar Dutra conheceu Einstein e lhe pediu que escrevesse uma carta para os estudantes do Colégio Anchieta, de Porto Alegre. Em 24 de junho daquele ano Einstein atendeu o pedido, escrevendo duas frases. O documento estava “perdido” em um cofre do colégio e foi encontrado recentemente, por ocasião da comemoração dos 125 anos do Anchieta.

CartaEinsteinAnchieta

Fontes: http://zh.clicrbs.com.br/rs/porto-alegre/noticia/2015/05/biografo-cre-que-carta-de-einstein-achada-no-rs-e-autentica-4766515.html e http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2015/05/22/internas_polbraeco,484163/escola-brasileira-encontra-carta-escrita-por-albert-einstein-de-1951.shtml

Traduções diferentes. A apresentada na reportagem de Zero Hora

“Quem conheceu a alegria da compreensão conquistou um amigo infalível para a vida. O pensar é, para o homem, o que o voar é para os pássaros. Não toma como exemplo a galinha quando podes ser a cotovia.

Para os estudantes do Colégio Anchieta, Brasil”

e a apresentada pelo Correio Braziliense.

“Quem conheceu a alegria da compreensão conquista um amigo infalível para a vida. O pensar é para o homem o que é o ar para os pássaros. Não toma como exemplo a cotovia [pássaro típico da Europa] quando pode ser uma águia.”

Para os estudantes do Colégio Anchieta, Brasil”

EinsteinAssinaturas

Laudo grafológico: Os espaçamentos entre as letras da assinatura de Einstein foram analisados para comprovar a veracidade. O laudo comprova: convergência nos espaçamentos (Correio Braziliense).

No envelope foi encontrada esta fotografia, muito provavelmente obtida pelo famoso fotógrafo Marcel Sternberger, de Nova York.

einsteinFotoAnchieta

VALOR HISTÓRICO?

Os meios de comunicação exageraram na atribuição do valor histórico desse documento. Atender esse tipo de pedido era corriqueiro na vida de Einstein, sobretudo depois que ele foi morar em Princeton (EUA). Ele recebia muitas cartas e dava muita atenção àquelas enviadas pelos mais jovens. No livro Einstein lived here, Abraham Pais dedicou um capítulo a esta faceta da vida de Einstein. O capítulo, intitulado Samples from Die Komische Mappe, faz um resumo da coleção de documentos que o próprio Einstein definia como Die Komische Mappe. Uma tradução livre, baseada no Dicionário de Ouro Alemão-Português, seria A pasta engraçada. Existem mais de 600 cartas e cartões curiosos recebidos por Einstein, mas poucas respostas foram encontradas. Curiosamente, no mesmo ano da carta para os estudantes do Anchieta, Einstein recebeu um cartão de uma menina de 6 anos, pedindo que ele cortasse o cabelo: eu acho que você deve cortar seu cabelo, para que você fique bem aparentado.

EinsteinCartaCrianca6Anos

Fonte: PAIS, A. Einstein live here. Oxford: Clarendon Press.

Portanto, me parece que a carta para o Anchieta foi uma atitude banal de Einstein, por causa da sua gentileza com as pessoas com quem tinha contato. Há uma anedota, não sei se é verdadeira, que ninguém confiava mais nas recomendações que ele escrevia para candidatos a cursos de pós-graduação e a cargos universitários. Simplesmente ele recomendava todos que lhe pediam recomendação.

Read Full Post »

Einstein1915

Read Full Post »

Física de partículas e registros fonográficos: FisicaParticulas130529Pub (29.05.2013)

Olhem a base do iceberg: Iceberg130627Pub (27.06.2013)

Zweig e Einstein (Parte 1): EinsteinZweigP1_130823Pub (23.08.2013)

Zweig e Einstein (Parte 2): EinsteinZweigP2_130830Pub (30.08.0213)

Provence, o berço do vinho francês: VinhosProvence131129Pub (29.11.2013)

 

Read Full Post »

Read Full Post »

ibirapuera_081015

Veja matéria na Revista Fapesp, sobre a palestra que apresentei no Ibirapuera, dia 19/10, e o vídeo com as principais partes da palestra.

Read Full Post »

A exemplo do que ocorreu durante a exposição Revolução Genômica, a revista Pesquisa FAPESP e o Instituto Sangari organizam agora uma série de palestras e debates complementares à mostra científica Einstein, que está em cartaz no no Pavilhão Armando de Arruda Pereira (antiga sede do Prodam), em frente ao planetário, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Em linguagem simples, acessível a um público amplo, físicos e especialistas de outras áreas – cinema, sociologia, filosofia, neurologia e história da ciência, entre outras – vão falar sobre as idéias de Albert Einstein e suas implicações em outros campos do saber.

Nas tardes de sábados, haverá mesas-redondas sobre o tema “O tempo em dois tempos”. Nelas, um físico e um pesquisador das ciências humanas falam e conversarão sobre a noção do tempo e do espaço em suas especialidades. Nas manhãs de domingo, na série “Muito além da relatividade”, físicos e escritores especializados em física do Brasil e do exterior abordarão aspectos pouco conhecidos da vida, do contexto histórico e da obra de Einstein. A entrada para as atividades da programação cultural, que ocorrem no auditório do pavilhão da exposição, é gratuita. A revista Pesquisa FAPESP e seu site farão cobertura intensiva das palestras.

Veja matérias na Revista Pesquisa Fapesp:

Outras informações sobre a exposição.

Segue abaixo a lista provisória da programação cultural, que ainda pode sofrer alterações:

11/10
O Difícil Legado de Einstein – Carlos Escobar, físico e professor da Unicamp
Mudando o modo de ver o mundo: indivíduos e ‘Zeitkontext’ ou como o movimento Browniano modificou o modo de fazer ciência – Peter Schulz, físico e professor da Unicamp
Mediador: Marcelo Leite, jornalista e colunista da Folha de S.Paulo

12/10
Einstein Inventor – Nelson Studart, físico e professor da UFSCar

18/10
O tempo do universo – Roberto Martins, físico e professor da Unicamp
O tempo no cinema – Rubens Machado (a ser confirmado)

19/10
A preparação de Einstein para o seu ano miraculoso – Carlos Alberto dos Santos, físico e professor da UFRGS

25/10
O tempo nas sociedades humanas – Mauro Almeida, professor da Unicamp, e Olival Freire, professor da UFBA

1/11
De Galileu a Einstein: do tempo da física ao tempo vivido – Pablo Mariconda, filósofo e professor da USP.
O tempo na filosofia – Antônio Augusto Videira, professor da UERJ

2/11
Em aberto.

8/11
As contribuições e críticas de Einstein à física quântica – Silvio Chibeni, físico e professor de filosofia da Unicamp.
O tempo no teatro – Sérgio de Carvalho, diretor teatral e professor da USP

9/11
Einstein no Brasil – Alfredo Tomalsquim, fisico e diretor do Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast) do Rio de Janeiro

15/11
O tempo e a memória – Martín Cammarota, biólogo e professor da PUC-RS.
Impactos da obra de Einstein no campo da Física Médica – Roberto Covolan, físico e professor da Unicamp

16/11
Tema em aberto – Gary Steigman, professor da New York University, Estados Unidos

22/11
O tempo na educação” – Lino de Macedo, professor da Faculdade de Educação da USP, e Carmem Prado, física e professora da USP

23/11
Buracos Negros: rompendo os limtes da ficção – George Matsas, físico e professor da Unesp

29/11
Atividade a ser definida.

30/11
Tema em aberto – Arthur Miller, professor Emérito de história e filosofia da ciência do University College, Londres, autor de Einstein, Picasso: Space, Time, and the Beauty That Causes Havoc

6/12
Tema em aberto – Yurij Castelfranchi, físico e pesquisador da Unicamp.

7/12
Einstein e a matéria – Luiz Davidovich, físico e professor da UFRJ

13/12
Atividade a ser definida.

14/12
Tema em aberto – Michel Paty, diretor de pesquisa emérito no Centre National de la Recherche Scientifique, França, e autor de A filosofia de Einstein

Read Full Post »