Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Inovação Tecnológica’

O conhecimento, qualquer que seja sua natureza, avança pelo divulgação de idéias inéditas. Isso não é apenas importante do ponto de vista comercial (patentes). Tem grande efeito psicológico sobre aqueles que produzem conhecimento. Isso também é válido para quem divulga. Os jornalistas têm até uma expressão própria: “furo”. Geralmente um trabalho científico que não apresente uma boa componente inédita é rejeitado pelas boas revistas científicas.

Na divulgação científica não há esse rigor quanto ao ineditismo da informação. Por exemplo, quando o Grande Colisor de Hádrons estava para ser inaugurado, jornais do mundo inteiro publicaram reportagens e artigos similares. Se o ineditismo não é uma exigência prioritária quanto ao tema, na minha opinião deve ser quanto à abordagem. Nos meus textos de divulgação científica faço um grande esforço para apresentar algo de um modo inédito.  Além disso, acredito que os divulgadores da ciência também tenham uma certa satisfação quando identificam algo interessante e que esteja pouco divulgado.

Fiquei muito contente quando no mês passado escrevi minha coluna na Ciência Hoje Online sobre o grafeno, sem conhecimento de que o tema estava para ser tratado em artigo na versão impressa da CH de março. O artigo de Adalberto Fazzio, Antônio J. R. da Silva e Thiago B. Martins veio a público poucos dias depois da minha coluna. Nas palavras de um amigo: foi uma dessas coincidências cósmicas!

Agora aconteceu-me outra. Minha coluna de abril, publicada em 27 de março, é sobre o papel eletrônico. Os últimos artigos publicados pela Nature e Science, especificamente sobre o tema, datam de 2005. Agora, na edição de 1 de abril, a nature publicou este artigo The textbook of the future.

Não vou negar que dá uma certa alegria sair na frente da Nature!

Read Full Post »

Este é o título da minha coluna de fevereiro na Ciência Hoje Online, onde apresento alguns fatos referentes à descoberta do grafeno, material que ameaça o silício no papel-chave da indústria eletrônica. Em função da limitação de espaço editorial na CH Online, algumas informações são apenas sugeridas na coluna, ou colocadas implicitamente. Mais detalhes sobre o assunto são apresentados em http://www.professorcarlos.com/.

Read Full Post »

Este é o título da minha coluna deste mês de janeiro, na Ciência Hoje Online. Como habitualmente faço, coloco no blog http://www.professorcarlos.com/ informações complementares, as quais não puderam ser colocadas na coluna por uma questão de espaço editorial. O objeto ignorado, mencionado no título, é o memristor, que juntamente com o resistor, o capacitor e o indutor vai formar o grupo dos elementos passivos da eletrônica.

memristor_williams_stewart

Read Full Post »

logo_if50anos_200pxCriado em 9 de março de 1959, em consequência de um movimento nacional em prol da ciência brasileira, o Instituto de Física da UFRGS comemora seu primeiro cinquentenário com uma extensa agenda de atividades ao longo de todo este ano de 2009.

O referido movimento tem início com a criação do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), em 1949. Dois anos depois é criado o Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq), imediatamente seguido pela criação do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), em 1952. Em 1953 é criado o Centro de Pesquisas Físicas da UFRGS, que seis anos depois dá lugar aos Institutos de Física e de Matemática.

As propostas do movimento foram incorporadas no Plano de Metas proposto em 1956 por Juscelino Kubitschek, no âmbito do qual foi constituída a Comissão Supervisora do Plano dos Institutos (COSUPI), cujo resultado prático foi a criação dos seguintes Institutos:  Física e Matemática (UFRGS); Mecânica (UFPR); Genética (USP, Piracicaba); Economia Rural (UFRRJ); Química (UFBA); Minas e Metalúrgica (UFOP); Geologia (UFPE); Tecnologia Rural (UFCE).(Informações extraídas de http://www.mat.ufrgs.br/historico.html)

O andamento dos eventos comemorativos será apresentado no portal IF 50 anos, que também será utilizado para registrar fatos históricos pertinentes, extraídos do arquivo permanente do IF, ou de relatos pessoais de quem se dispuser a colaborar.

Read Full Post »

Achei esta mensagem, There’s Lots of Tech Help, Yes, on the Internet, no blog de Azadeh Ensha, do New York Times. Além dessa bela ilustração, o texto apresenta dicas úteis para quem se encontra perdido no meio de dúvidas nyt_tech_help_ensha_0812241tecnológicas. Você tem dúvidas sobre o funcionamento do seu computador pessoal? Seu belo Macintosh apresenta algumas manias esquisitas? E seu BlackBerry, coloca todas suas mensagens enviadas na pasta in-box, e você não sabe como acabar com essa idiotice? Leia o blog de Azadeh.

Para facilitar a vida daqueles que lêem em inglês, colocarei abaixo alguns dos links sugeridos no dito blog (sei que existem muitos sítios no Brasil que cumprem função similar, mas é sempre interessante dar uma circulada global).

http://www.answerbag.com/ – Answerbag is a community of people helping others.

http://secure.experts-exchange.com/ – Since 1996, Experts Exchange has pioneered collaboration and knowledge sharing.

http://www.fixya.com/ – FixYa is a place where individuals can share real world experience and connect to provide each other practical advice.

http://www.techimo.com/ – Our goal is to provide you with a personalized Internet experience that delivers the information, resources, and services that are most relevant and helpful to you.

http://forums.pcworld.com/index.jspa – PCWorld.com is the Web’s trusted resource for management-level buyers and users of technology products, reaching an average of 6.3 million unique visitors per month (HitBox, June – August 2006).

http://forums.cnet.com/ – CNET shows you the exciting possibilities of how technology can enhance and enrich your life. We provide you with information, tools, and advice that help you decide what to buy and how to get the most out of your tech.

http://discussions.apple.com/forum.jspa?forumID=731 – O sítio da Apple não tem um “about us”. E precisa?

http://www.everymac.com/ – EveryMac.com is the complete guide to every Macintosh, iPod, and Mac clone in the world, with technical, configuration, and pricing details.

http://crackberry.com/ – CrackBerry.com is the most popular BlackBerry site on the net, receiving more than 20 million page views each month worldwide.

http://www.theiphoneblog.com/ – The iPhone Blog merged with the Phone different site in May of 2008.

Read Full Post »

Este é o título da minha coluna de dezembro na Ciência Hoje Online. É sobre as partículas Janus, que funcionam como um surfactante. Vem despertando enorme interesse nos últimos anos, mas seus fundamentos experimentais foram descobertos entre 1903 (Walter Ramsden) e 1907 (Spencer Umfreville Pickering), e seus fundamentos teóricos foram apresentados em um artigo que Pieranski publicou em 1980. Visite  http://www.professorcarlos.com/ e veja belas imagens de partículas Janus e outras partículas utilizadas em emulsões Pickering.

Read Full Post »

Como faço habitualmente ao acordar, neste domingo tava zapeando entre as 5 estações de rádio que costumo ouvir aqui em Porto Alegre, quando dei de cara com um programa interessante na CBN, conduzido pelo Heródoto Barbeiro. Infelizmente peguei o bonde andando, e tive que saltar antes do fim da linha. Felizmente eles disponibilizam o áudio, em duas partes:

No meio da segunda parte, o Heródoto fez uma pergunta bastante pertinente e importante: como é que as pessoas podem selecionar as informações adequadas, entre as milhares disponíveis na internet?

Embora tivesse a companhia de três especialistas no assunto, na minha opinião eles tangenciaram a questão. Um dos participantes mencionou a possibilidade de assinatura de feeds de blogs e portais importantes. Mas o problema proposto por Heródoto exige uma providência anterior à assinatura do feed, ou mesmo inscrição em malas diretas, hoje uma ferramenta disponível, por exemplo, no Zookoda e no FeedBlitz, que considero bem melhor do que o primeiro.

Antes de assinar feed, você deve identificar o endereço para fazer a assinatura. Essa é a questão: como localizar o endereço nesse cipoal digital? A figura abaixo ilustra o processo.

distribuir_informar

Tudo começa como sempre, desde o primeiro Heródoto, o pai da História. Alguém produz o conteúdo e o coloca em algum lugar. Em papiros, fichas, livros e revistas, arquivos html em algum servidor conectado na internet. O problema é achar esse conteúdo, disseminado no espaço virtual da internet, que atenda nossa necessidade. Antes de 1998, existiam os diretórios, Yahoo, AltaVista, HotBot, e outros. Cada produtor de conteúdo registrava seu material. O diretório tinha um sistema de indexação que era orientado pelo próprio produtor, que informava em que área do conhecimento seu material devia ser classificado.

O pobre do usuário tinha que ficar circulando entre os diretórios, e depois dentro de cada diretório para achar os materiais que lhe interessava. Uma coisa chata e ineficiente. Foi quando o pessoal do Google inventou a tecnologia das ferramentas de busca. Seus robôs digitais ficam por aí, circulando em tudo que é servidor, verificando as informações e colocando-as em um index. Depois, por intermédio de palavras-chaves ou sentenças de busca, o usuário pode recuperar essas informações. O problema é que esse processo de indexação é muito complexo.

Embora estejam no bom caminho, o pessoal do pessoal do Google ainda está longe de obter pleno sucesso na análise textual que produza uma indexação perfeita. Há mais de cinco, fiz uma busca no Google sobre física nuclear. Uma das primeiras páginas era de uma turma de um colégio em João Pessoa. Você acha confiável um conteúdo sobre física nuclear preparado por uma turma de colegiais? De lá para cá, o Google melhorou muito, mas ainda hoje o sistema recupera conteúdo duvidoso. Por exemplo, repetindo a pesquisa com a sentença “física nuclear”, com aspas para aumentar a restrição, encontramos endereços de estudantes na frente de endereços de conceituados institutos e departamentos de física, como da USP, da UFSM, da UFRGS, entre outros.

Claro que parte dessa dificuldade deve-se à inabilidade dos produtores de conteúdo formatarem seus materiais de modo a facilitar o trabalho dos robôs digitais, mas também temos que considerar a inabilidade das ferramentas de busca para a realização de uma análise textual apropriada.

Depois de todo esse lero-lero, a questão do Heródoto continua sem resposta. É, não é fácil respondê-la. Teremos que cair nas mãos das fontes confiáveis, das autoridades no assunto.

riso_frouxoPor exemplo, se você deseja informações sobre a ciência que está por trás das inovações tecnológicas, tem que colocar o Blog do Prof. Carlos entre seus favoritos.

Read Full Post »

Older Posts »